5 dicas para saber se a sua empresa está preparada para o eSocial.

5 dicas para saber se a sua empresa está preparada para o eSocial.

O eSocial está aí e estima-se que 20% do total de informações que devem ser prestadas ao governo, são referentes aos dados de Saúde e Segurança do Trabalho. O intuito é saber como anda o relacionamento das empresas com essas áreas, e por isso é preciso ficar atento e se preparar para a implementação de programas de SST, além de introduzir na cultura da empresa o atendimento às leis e as normas estabelecidas para cada função.

Para garantir que a sua empresa está preparada para o envio desses eventos para o eSocial, é necessário organizar alguns dados. Confira abaixo 5 dicas:

  1. Exames médicos

Algumas informações de exames feitos pelo trabalhador deverão, obrigatoriamente, serem informados ao eSocial. O cadastro de uma nova admissão, por exemplo, só será possível se as informações do Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) e dos exames complementares, realizados pelo trabalhador, estiverem com o empregador.

 

  1. Programas e laudos

Não será possível enviar o leiaute obrigatório sem as informações de documentos como o PPRA, o PCMSO, os Exames Complementares, o LTCAT, Ergonomia e o Laudo de Periculosidade, que a empresa terá que enviar de uma só vez para cada colaborador.

Programas obrigatórios e fundamentais para garantir a saúde, a segurança e a integridade física dos colaboradores, o PPRA e PCMSO devem estar atualizados e disponíveis para consulta de auditores, em caso de fiscalização. Descumprimentos de prazos, informações omitidas ou enviadas incorretas para o eSocial, podem gerar multas.

 

  1. Gestão dos Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva

Através de diferentes eventos do eSocial, o governo vai interligar diversos dados referente a trajetória de um colaborador na empresa. Nesse caso, a gestão dos EPIs e EPCs, será uma das questões mais difíceis de gerenciar dentro da área de SST, já que a empresa deverá comprovar através de documentos, registros, testes e outros, a eficácia do EPI que está sendo entregue ao colaborador. O evento 2240, por exemplo, irá cruzar informações dos fatores de riscos informados e a eficácia dos EPIs vinculados.  O reporte dessas informações poderá ser decisivo para concessão do ou não direito ao adicional de insalubridade e/ou aposentadoria especial.  É importante fazer a gestão correta e possuir rastreabilidade de todos os dados desses equipamentos, pois no cruzamento das informações, qualquer dado enviado erroneamente, poderá ser identificado pelos órgãos fiscalizadores.

 

  1. Normas Regulamentadoras

As Normas Regulamentadoras, emitidas pelo governo, definem quais treinamentos deverão ser feitos pelos trabalhadores conforme os riscos aos quais estão expostos durante a sua jornada de trabalho. O eSocial, através do evento S-2245 e a tabela 29, fará o controle desses treinamentos. Por isso é importante que os treinamentos estejam sempre atualizados conforme determina cada norma, e que a empresa tenha em mãos todos os registros dessas capacitações para fins de fiscalização.

 

  1. Software de Gestão em SST

A ideia do eSocial é integrar uma grande quantidade de dados dos funcionários durante a sua jornada dentro da empresa, afim de evitar inconsistências, erros e sonegação. Para evitar problemas com fiscalizações e multas, é importante a ajuda de um bom software de gestão que facilite os processos. Neste outro artigo você encontrará 7 dicas para escolher o melhor software de gestão de SST.

 

Gostou das dicas? Foi útil para você? Escreva-nos ou acesse ao lado os outros posts sobre temas relacionados.

You must be logged in to post a comment.