Síndromes Ocupacionais

Conhecida como a doença do século XXI, as síndromes são cada vez mais comuns, e podem ser oriundas de diversos fatores.

Na edição de janeiro da revista Cipa o psiquiatra Leonardo Maranhão, relata que 30 % da população brasileira apresenta algum grau desse problema que está relacionado diretamente com o esgotamento emocional e físico.
São potenciais causas deste esgotamento o acúmulo de trabalho, perfeccionismo, performance, metas a serem batidas, horas extras e muita cobrança.

Com a correria do dia-a-dia, você se envolve com tantas tarefas e esquece de cuidar do bem mais precioso: A SUA SAÚDE.

Trabalhar como se não houvesse amanhã, como se o futuro só dependesse do serviço e dos esforços contínuos pode levar ao esgotamento da mente e do corpo e fazer com que você seja tomado por uma espécie de blackout, uma sensação de extremo cansaço. Isso, sem falar na rotina da casa, que vai da preocupação do pagamento de contas e da ida ao supermercado à administração dos filhos, da vida escolar deles e de uma série de outras questões que consomem tempo e energia.

Trocar a vida pelos infindáveis compromissos profissionais nos expõe a desenvolver doenças como ansiedade, estresse, depressão, pânico e até mesmo a chamada síndrome de bournout.
Os principais sintomas são: insônia, sinais como despersonalização, distanciamento afetivo, queda de rendimento, falta de energia e empatia pelos colegas. Baixa produtividade, falhas na execução das tarefas, insatisfação pessoal e cansaço intenso.

Reserve um tempo para si. Pratique exercícios, alimente-se melhor, cuide da qualidade de seu sono e tenha tempo para os amigos e familiares. Esses são fatores essenciais para manter corpo e mente saudáveis.

Além disso, precisamos de um tempo longe da tecnologia, libertar- se do celular, ser gentil e se auto avaliar, verificando o nível de bem-estar no local de trabalho e nos meios em que vive.
São atitudes simples que podem fazer a diferença! Pense nisso!

Fonte: Revista Cipa/ edição janeiro 2018/ Leonardo Maranhão/página75

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário